Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gulinha.

Peixe, carne, legumes. Entradas, sobremesas, petiscos. Experiências. Dicas. Erros. Um forno temperamental. Mesas para dois ou para dez. Dias bons, muito bons e assim-assim. A minha cozinha tem de tudo. E é o meu sítio mais feliz.

Peixe, carne, legumes. Entradas, sobremesas, petiscos. Experiências. Dicas. Erros. Um forno temperamental. Mesas para dois ou para dez. Dias bons, muito bons e assim-assim. A minha cozinha tem de tudo. E é o meu sítio mais feliz.

Gulinha.

22
Jul20

Quem inventou as quiches merece um prémio.

1 (5).jpg

 

Merece mesmo. Porque as quiches ganham em tudo. São fáceis de fazer. São rápidas. Há para todos os gostos. Pode seguir-se uma receita à letra ou por para lá o que houver à mão. Comem-se quentes ou frias. Os restos dão imenso jeito no dia a seguir. Servem bem para o almoço e ainda melhor para o jantar. São uma bela entrada – e uma entrada que se pode levar alegremente para casa de alguém quando nos convidam para o repasto. Transportam-se com facilidade. Agradam a miúdos e graúdos. Não faltam versões vegetarianas. E eu podia continuar nisto...

 

... mas se calhar vamos para a receita de hoje, que é uma bela quiche de cebola e bacon. Esta, por acaso, não é exatamente daquelas que se "montam" em cinco minutos. Mas não deixa de ser muito simples, bem bonita e uma delícia! Experimente e vai ver se não tenho razão.

 

2 (4).jpg

 

---

 

sep receitas.png

Quiche de cebola e bacon

Ingredientes:

1 base de massa folhada ou quebrada

500 g de cebolas pequenas (ou chalotas)

4 c. de sopa de azeite

2 c. de sopa de vinagre balsâmico

Sal e pimenta preta q.b.

1 ovo grande

1 requeijão (ou uma embalagem de ricotta)

¾ de chávena de parmesão ralado

5 c. de sopa de cebolinho picado

¼ de chávena de natas (ou de creme de soja - foi o que eu usei)

5 fatias de bacon

 

***

 

3 (4).jpg

 

Primeiro que tudo, coloque o forno a pré-aquecer aí nos 180º C. Estenda a base de massa numa tarteira, pique o fundo com um garfo e reserve.

 

Depois de descascar as cebolas, corte-as em quartos e coloque numa frigideira ou num tacho. Junte três colheres de sopa de azeite, o vinagre balsâmico, sal e pimenta. Leve a lume médio-baixo e deixe cozinhar. Vá mexendo. Ao fim de uns 45 minutos deverá ter cebolas cozinhadas e com um tom mais escuro. Se for preciso, durante este processo junte mais um pouco de azeite.

 

Entretanto, corte o bacon em tiras e frite-o na própria gordura. Quando estiver pronto, escorra-o bem em papel de cozinha.

 

Separe a gema da clara do ovo, que vai reservar para a cobertura. Quanto à gema, bata-a e depois junte o requeijão bem desfeito com as mãos, a restante colher de azeite, meia chávena de parmesão ralado e o cebolinho. Espalhe esta mistura uniformemente na tarteira, sobre a massa. Por cima disponha as cebolas que cozinhou e as tiras de bacon.

 

Noutra tacinha, bata a clara de ovo que reservou com as natas e o restante parmesão. Depois, espalhe esta mistura sobre a tarte.

 

Agora, vai cobrir com papel de alumínio e levar este pitéu ao fono por uns 35 minutos. Depois, tire o papel de alumínio e deixe no forno por mais uns 10 a 15 minutos, até que a parte de cima esteja a borbulhar e a massa esteja dourada. (Claro que estes tempos vão varias muito de forno para forno.)

 

E ja está! Quando a quiche lhe parecer pronta, tire-a do forno, deixe-a repousar uns dez minutinhos e sirva. Vai ver que é uma maravilha!

 

4 (5).jpg

 

sep notas.png

 

Nota:

* É claro que aqui o vinagre balsâmico não pode ser substituído por outro. É o que vai dar cor (e um sabor particular) à cebola.

14
Jul20

Carninha e batata-doce. Perfeito!

IMG_20200707_131401.jpg

 

Nos fins de semana, como tanta gente, aproveito sempre para cozinhar a contar com a semana. E não há praticamente sábado ou domingo em que não ligue o forno – porque os pratos de forno são dos melhores para guardar e ir aquecendo nos dias seguintes. Claro que agora, com o calorzinho a apertar, viro-me mais para saladas, para pratos frios ou para "comida de tacho". Mas no fim de semana passado ainda fiz este empadão. E enquanto estávamos a almoçar pensei que não fazia sentido esta receita ainda aqui não estar... É das que mais "rodam" cá em casa, é deliciosa, é simples de fazer, os miúdos gostam e se for preciso alimenta-se meio mundo!

 

Vamos a isto? :)

 

IMG_20200707_131423.jpg

 

---

 

sep receitas.png

Empadão de carne e batata-doce

Receita adaptada de uma do chef Henrique Sá Pessoa

Ingredientes:

1,2 kg de batata doce

2 c. de sopa de manteiga

2 gemas

250 g de cogumelos shiitake

Azeite e folhas de tomilho q.b.

1 kg de carne picada (eu costumo usar uma mistura de vaca e porco, com um bocadinho de chouriço)

2 dentes de alho bem picadinhos

Pimenta preta q.b.

1 folha de louro

1 copo de vinho branco

5 c. sopa bem cheias de polpa de tomate

 

Comece por descascar as batatas-doces e por levá-las a cozer em água temperada com sal. Quando estiverem tenrinhas, coe e esmague-as, para fazer o puré. Junte depois a manteiga e as gemas. Prove, não vá ser precisa mais uma pitadinha de sal.

 

Enquanto as batatas cozem, corte em tiras 250 g de cogumelos shiitake. Leve ao lume um tacho grande, com o fundo coberto de azeite, e quando estiver quente junte os cogumelos. Tempere-os com sal e com o tomilho e deixe-os fritar. Se for preciso, porque os shiitake são umas "esponjinhas", junte mais um pouco de azeite.

 

Quando os cogumelos estiverem fritos, junte a carne ao tacho. Tempere com sal, o alho picado e a pimenta, junte a folha de louro e adicione ainda o vinho branco e a polpa de tomate. Envolva tudo muito bem e deixe a carne estufar aí durante uns vinte minutos, em lume médio. Vá mexendo, para que toda a carne core e ganhe sabor.

 

E já está! Agora é só montar o empadão. Para já, pode colocar o forno a aquecer nos 200º C. Enquanto o dito aquece, no fundo de um pirex ou de um tabuleiro de ir ao forno coloque a mistura de carne e cogumelos, e depois, por cima, disponha o puré de batata-doce. Enfeite como preferir e leve ao forno uns vinte a trinta minutos (ou até as pontinhas do puré começarem a tostar).

 

Et voilà! :)

 

IMG_20200707_131416.jpg

 

sep notas.png

 

Notas:

* Eu usei cogumelos desidratados, e por isso coei a água de os hidratar e juntei parte dela à carne, para dar sabor e molhinho extra. Mas pode perfeitamente não o fazer – e usar cogumelos frescos.

* Ainda sobre os shiitake: ficam muito bem aqui, mas, se não encontrar, use cogumelos "normais" (brancos ou marron).

* Quanto à batata-doce, desta vez usei da branca, porque foi a que consegui comprar. Mas gosto ainda mais com a cor de laranja.

* Se tiver um saco ou uma seringa de pasteleiro, esta é uma boa altura para lhe dar uso! O empadão fica muito mais bonito se o puré for colocado em "montinhos". :)

* Se puder, não omita o tomilho. Pode usar fresco ou seco. Mas use – dá um travo muito particular e muito bom à carne.

07
Jul20

Sobras? Então, arroz chao-chao!

IMG_20200604_124046.jpg

 

Não sei se uma das últimas boas ideias da Filipa Gomes vos passou ao lado. Cá em casa, não passou – experimentámos assim que pudemos. E nunca mais queremos outra coisa na vida feita com os restos do frango assado. Aqueles peitos desengraçados ganham uma vida nova e a-b-s-o-l-u-t-a-m-e-n-t-e deliciosa!

 

Explicando um pouco melhor: é preciso ter os tais restos do frango, restos de arroz (ou arroz feito no momento, pronto), legumes vários e mais uns "pós" – e está feito um arroz chao-chao caseiro e bom mas bom. Viciante, aliás!

 

O meu foi feito com arroz de tomate, porque era o que havia. A receita original pede arroz branco, mas juro que com arroz "vermelho" também fica um pitéu glorioso.

 

E nunca mais os peitos do frango de churrasco serão uma coisa triste!

 

---

 

sep receitas.png

Arroz chao-chao (feito de sobras)

Receita adaptada de uma da Filipa Gomes

Ingredientes:

2 chávenas de arroz cozinhado (branco, de tomate... O que houver)

2 peitos de frango desfiados (ou o equivalente de outra sobra de carne ou até de peixe que tenha no frigorífico)

1 cenoura em cubinhos pequenos

½ alho francês médio cortado em tiras/meias-luas

1 chávena de milho (ou 1 lata das médias)

½ chávena de ervilhas congeladas

3 ovos

3 c. sopa de azeite

2 c. de chá de óleo de sésamo (é opcional mas faz muita diferença)

Sementes de sésamo e cebolinho q.b.

 

***

IMG_20200604_124043.jpg

 

Comece por aquecer, no wok, num tacho ou numa frigideira grande e larga, o azeite e o óleo de sésamo. Quando estiver quente, junte a cenoura em cubinhos e deixe fritar uns três minutinhos. A seguir, vai juntar o alho francês e deixar fritar mais um minuto ou dois, até que ele quebre.

 

Agora, junte o frango, o arroz e as ervilhas. Envolva tudo muito bem e deixe fritar mais uns cinco a sete minutos. Vá mexendo.

 

Numa frigideira mais pequena, à parte, coloque a terceira colher de azeite. Bata os ovos, deite-os na frigideira e mexa-os. Quando estiverem quase prontos, transfira-os para a frigideira grande e envolva bem nos restantes ingredientes.

 

E está pronto! Agora é só decorar com sementes de sésamo e bastante cebolinho picado, servir e deliciar-se!

 

sep notas.png

 

Nota:

* Dica para cortar o cebolinho: com uma tesoura! É a forma mais prática.