Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gulinha.

Peixe, carne, legumes. Entradas, sobremesas, petiscos. Experiências. Dicas. Erros. Um forno temperamental. Mesas para dois ou para dez. Dias bons, muito bons e assim-assim. A minha cozinha tem de tudo. E é o meu sítio mais feliz.

Peixe, carne, legumes. Entradas, sobremesas, petiscos. Experiências. Dicas. Erros. Um forno temperamental. Mesas para dois ou para dez. Dias bons, muito bons e assim-assim. A minha cozinha tem de tudo. E é o meu sítio mais feliz.

Gulinha.

27
Out17

Couve-roxa – e um acompanhamento bom e bonito.

Couve-roxa "a modos que" estufada.

 

Com o vício que se instalou cá em casa de fazer legumes de todas as formas e feitios acho que em breve vou ter de inaugurar a secção de acompanhamentos (porque em grande parte é para isso que os uso). E talvez também devesse fazer um contrato de abastecimento com uma frutaria. Não paro de ter ideias para abóboras, cenouras, couves, beterrabas... (Obrigada, Instagram, por fazeres deste mundo um sítio "culinariamente" mais feliz e intenso.)

 

Aqui há dias foi o puré de couve-flor. Lá para trás ficou o caldo verde. E, entre o tanto que já fiz e ainda aqui não está e o muito que tenciono experimentar assim que possível, chega hoje a couve-roxa.

 

Há algum encontrei, já nem sei por que caminhos, uma receita com couve-roxa que quis logo experimentar – apesar de nem ser assim a maior fã da dita cuja. A receita é do Jamie Oliver (mas está semeada por essa Internet fora).

 

Eu sei que nem toda a gente vive encantada com couve-roxa. Eu própria de facto não vivo. Quando era miúda adorava, mas depois o entusiasmo abrandou um bocadinho. Seja como for, de vez em quando compro, para depois gastar em salada, na sopa ou salteada. Mas a última que comprei já vinha mesmo com o destino traçado: a tal receita do Jamie.

 

Couve-roxa "a modos que" estufada.

 

Na prática isto é uma espécie de couve "estufada". Não leva nada daquilo que levam os estufados normais, mas a mecânica é idêntica.

 

Quando decidi experimentar já sabia que, à falta de uma grande descoberta culinária, ia pelo menos ter uma coisa bonita na mesa, com uma cor forte e diferente das habituais. Só que isto vai muito além da cor. Se vai... Aquele toque ácido da couve misturado com o doce do mel e do açúcar e com o salgado do bacon é-qualquer-coisa.

 

Mesmo que a couve-roxa não seja a sua primeira, segunda ou até décima opção na altura de comprar legumes, eu sugiro-lhe que dê uma oportunidade a esta receita. Aposto que, depois de a experimentar, não se vai ficar pela experiência! É mais uma alternativa no que toca a acompanhamentos, é fácil de fazer, é saudável (o bacon é pouquíssimo!), é leve, é suave e tem um sabor mesmo bom. E além disso é bonita...

 

Couve-roxa "a modos que" estufada.

 

---

 

sep receitas.png

Couve-roxa "a modos que" estufada

Ingredientes [para duas pessoas]:

200 g de couve roxa

65 g de bacon em cubos

½ c. de sopa de açúcar mascavado

1 c. de chá de manteiga

Sal, pimenta preta, azeite, vinagre, tomilho e mel q.b.

 

***

 

Para esta receita vai começar por picar o melhor que conseguir a couve-roxa. Eu usei a mandolina e acabei por ficar com fios muito fininhos. Se ficar com cubinhos pequeninos, também está bem.

 

Quando a couve estiver picada, reserve. A seguir, pegue no wok (ou numa frigideira, ou em último caso num tacho) e leve-o ao lume com um pouco de azeite. Quando o azeite estiver quente, junte o bacon, o tomilho, o sal e a pimenta. Misture e deixe cozinhar em lume médio, até que o bacon esteja crocante e dourado. (Cinco a dez minutos e está feito.)

 

Assim que o bacon estiver no ponto vai tirá-lo do wok e reservar. Sem o wok ao lume junte o açúcar, mexa e leve novamente para o fogão. Deixe caramelizar um bocadinho, em lume brando, e depois junte o vinagre, a couve e o bacon. Mexa bem. A seguir junte um bocadinho de água (50 ml devem chegar), envolva e tape o wok com uma tampa.

 

Depois, é dar uns 40 minutos ao cozinhado, em lume muito brando e mexendo de vez em quando. Se lhe parecer que a couve está a ficar muito seca, junte mais um pouco de água.

 

Quando a couve estiver muito macia, quase a desfazer-se, junte a manteiga e o mel, misture muito bem, apague o lume... E sirva!

 

Couve-roxa "a modos que" estufada.

 

(E depois diga-me se gostou!)

 

sep notas.png

 

Notas:

* Esta couve é um ótimo acompanhamento para carnes grelhadas ou assadas. O Jamie também sugere peixe. Aí já não tenho tanta certeza... Mas quem sou eu! ;)

 

* A receita original pede alecrim. Mas eu não gosto assim muito de alecrim, e além disso também não tinha cá em casa... Por isso optei pelo tomilho.

 

* A receita original pede também vinagre de vinho tinto. Eu usei vinagre de tomate.

 

* O bacon não é obrigatório, mas o sabor que dá faz muita diferença.

 

Couve-roxa "a modos que" estufada.

Sofia.

Mais Gulinha.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dar sangue. Dar medula. Dar vida.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D